Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2016

Calvinos

Sobre ser ou não ser, não ser uma questão
Talvez uma opção na contramão
Ou a contradição como opinião

O que realmente é ver na era da informação?
Onde tudo é tragédia ou decepção
Tolos não mudam com a sua oração

"Os ignorantes são mais felizes
Não precisam sofrer ou ter cicatrizes"

Sobre ler ou não ler, ser o seu leilão
Sobre ter ou não ter, sua tentação
Sobre crer ou não crer na criação

De tatos e contatos, o sim ou não
Do afeto e do afetado, a continuação
Aos reles e raros, a fascinação

"Os ignorantes são mais felizes
Não precisam sofrer ou ter cicatrizes"

Filólogos

O imã, é a atração entre os opostos
Só entende o prisma, os que estão dispostos
Brilham, os que se deixam expostos
Só entende a rima, quem faz com proposito

Nem toda interpretação está no recitar
Sorrisos de perfumes e dos sons à decifrar
Nem toda observação é feita pelo olhar
Sem apagar, por cima dos rabiscos a editar

Você já sabe o que é passado, presente e futuro,
Sabe onde quer estar ou está em cima do muro?

Verde, Seiva

Triste é a flor que não desabrocha
Sem manar, emanar ou brotar
Somos as águas do rio nas rochas
Esculpimos ao moldar, rachar

Reestruturamos todas essas pontes naturais
O que parece destruição, é um quadro inacabado
Não temos pressa aos que parecem surreais
E recriamos em alicerces do que já foi sepultado

A vida é uma sequencia e o mundo gira
O que fica em inércia ou intacto, não segue essas linhas
É quadrado e não se movimenta em ira
Busco novos mantras em mensagem sonora que inspira

E tenho como religião tudo o que é Novo
Original e estranho, mas não um estorvo

Ciganos

A saudade é mentirosa
Ela te faz voltar no tempo, enquanto você para
A realidade é perigosa
Ela é gravidade, onde a coragem é atitude rara

Os pulsos e impulsos ficam nos sonhos
Trazê-los para o corpo é uma força de vontade árdua
Os cultos e ocultos são nossas orações
Fazemos de fé, como se nós pudéssemos tocar a lua

Mas quando o passo é dado
Surgem novos horizontes e novas aventuras a desbravar
Errante, o solitário soldado
Marcha para a guerra, com pouca estratégia pra enfrentar

Ficamos à mercê do karma
Em velhos ditados de - Aqui se faz e aqui se paga
Pedimos paz pra nossa alma
Mas às vezes, nem sabemos aonde é nossa casa

Mas confuso mesmo
É ver pessoas perguntando para o seu Deus
Porque dá tudo errado
Sem ao menos fazer nada por um dos seus...

Flor e Ser

Intercâmbios astrais de uma busca
Eu precisava ouvir, eu precisava ler e ter habilidades
Recebi presentes de Vênus e da Lua
As constantes mudanças imploram pela estabilidade

Nós andamos lado a lado
Até que os nossos caminhos nos separarem
Temos missões e legados
Deixados por essência de sonhos e coragens

Tudo que envolva seu desenvolvimento, é muito mais que bem vindo
Tudo que envolva a inércia, é seu verdadeiro inimigo e seu precipício

Sei que todo herói de guerra
Deseja desfrutar de suas conquistas
Ter seu espaço e suas terras
Mesmo sem ter um manual ou pista

Seguimos sem capas
Estamos no meio um bombardeio, sem reforços
Seguimos sem mapas
Somos principes e herdeiros de nossos esforços

Crises existenciais só existem aos que não possuem suas escolhas
Aos que se aprisionam dentro de um sistema operacional, de bolhas

E para viver
Liberte o que precisa morrer
Pra renascer
Queime e se deixe florescer

Nível(ar)

Em percepções temporais diferentes
E onde cada um sabe o que te faz bem
Não cabe a nós comparar as mentes
É uma perca de tempo e vai mais além

Gostamos de hobbies, músicas ou artes
Que nunca imaginaríamos começar a gostar ou conhecer
Partir é deixar ir ou não fazer mais parte
De escolher, colher seus novos caminhos e se desprender

O desespero é o que nos infecta
Acreditamos, que o erro é humano
E o desapego é o que nos liberta
Pois não pertencemos à esse plano

Deixe a sua vida, deixe a sua gravidade
Você não se encontra por dentro se ainda estiver por fora
O Universo é muito mais que a verdade
Em Big bangs diários, o tempo é muito mais que o agora

Está mesmo preparado pra ir
Ou conseguir seguir?
Não deixe o saudosismo rugir
Aja, é hora de reagir!

E dos 7 bilhões de humanos invisíveis
Você prefere nivelar, ou, atingir níveis?

Concepções

Em nosso terrorismo
Incrédulos ao ver tanta mente trancada, sem saber amar
Nosso espiritualismo
Num Deus maior que os religiosos deixaram de enxergar

Ensinamentos interpretados
Que podem até ter sido corrompidos e deturpados
Não sabemos ao certo, Atos
Se é que bem me entendem, apóstolos renegados

Entidade dogmatística, natureza morta, abstrata
Onde maldades mascaram condutas
E a minha mente sempre reluta ao que se relata
Pois, são tantas verdades absolutas

Com toda a sabedoria do firmamento
Sem preconceito, nos deixe viver o tal do livre arbítrio
E com tanta riqueza de ensinamentos
É impossível que seu Deus queira ouro em santo juízo

Religiões não deveriam matar ou maltratar
Já pensou que o seu dízimo poderia estar no amor ao próximo?
Religiões não deveriam julgar e sim, juntar
Já pensou que o seu dízimo poderia estar no amor ao máximo?

(De)Nota-se

Essa realidade suja toda inocência
As tentações distanciam o amor
Você escolhe o que te faz presença
No frio, todos queremos o calor

Onde as madeiras podem se apagar
Em meio à tantos planos de fuga
Procuro quem tenha planos de ficar
E me traz sabedoria com loucura

A mistura dos sabores
O doce que vem com um toque azedo
Onde nós vemos cores
E na escuridão, esquecemos do medo

Dizem que eu ando na contra-mão
Mas apenas peguei outra via, expressa
O que te faz sentido ou te dá razão
Não é algo que busco ou me interessa

E se o que realmente levamos
São paixões e sabedorias
Por que então nós ostentamos
As marcas e não teorias?

Sabemos que na morte, iremos só
Mas viver sozinho é idiotice
Essa humanidade, é cheia de nós
De porcentagens ou índices

Não são meras questões de felicidade
Pois não é uma busca exata
E cada um sabe o que quer de verdade
Mas se atrasar, não há pro rata

Meio Assim (Sei lá)

Em um ciclo de ações
Um caminhão de emoções
Ou trem de reclamações             (Sei lá)
Dos tantos ódios e paixões

Ou as várias repetições
Intensas decepções
Porcentagens e frações           (Meio assim)
Frases sem reações

Estamos exatamente aqui
Corajosos à procurar
E encontrar algo sem fim
Ao menos, no tentar

Sonhar ao sorrirmos acordados
Parece até que, desesperados
Almas, em pedaços separados
E um quebra-cabeça de aliado

Tentando se encaixar de peça por peça
Em uma vida inteira, cheios de pressa            (Preces)

A verdade absoluta é uma grande ilusão
Nunca vamos entender o sentimento dos outros
Quem pode te libertar, é o seu coração
Nunca vamos entender as criaturas e monstros

O que precisamos entender
É que cada tropeço nosso, é cula nossa
Na sua atenção a se perder
Se prender, a guiar ou puxar uma carroça

Fazemos parte do nosso destino
Cheios de apegos e saudosismos                (Eternos sonhadores)