Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2013

Infóbico

Choque de realidade
Me deparo com a verdade
Um tapa da realidade
Sentimento de sinceridade

O que falam com efetividade
Modifica toda sua banalidade
Evolui aquela sua continuidade
E aumenta toda sua vontade

Falar o que pensa
E ouvir só o que se precisa
É para que cresça
Que o Infóbico se modifica

Full...

Os bares, os lugares, os altares
Se falares, tentares ou falhares
Os males, os trajes, ainda altares
Nas lajes, andares ou paisagens

É presente, é futuro e é lucro
Não me curo ou torturo, conjuro
Conjugo obscuro e escuro
Seguro e inseguro, puro e impuro

É um pouco confuso
É muita gente nesse imenso mundo
É repleto de esperto
De alienados com o que acham certo

Amém

Aquele momento
De fazer silencio e ouvir
Mas ouvir à quem,
Se não há ninguém aqui?

É, você apenas quer ouvir alguém
Sendo seus fantasmas ou sua consciência
Porque você precisa dizer amém
Essa é a sua ciência e é a sua essência...

Silente

Solitária, a fala
Que apenas se cala
Em noite de gala
Onde ela se embala

Embora na sala
Sem graça, entala
Embola na mala
Velha e de bengala

Mas não em escala
Vai pra outra sala
E não, ela não rala
Nem usa a cabala

Solitária, a fala
Que na mente se abala
Não se desentala
E apenas se embaralha

Valores

Valores que apenas são dados
Valores que damos ou temos
Valores que não são respeitados
Valores ao que nós queremos

Valor ao "o que"
Valor à "quem"
Valor a "Você"
Valor a "Ninguém"

Envelhecer

Ao passar por muitos
E muitos ao passar
Sem intensão ou intuito
E sempre à caminhar

Muitos aromas e fragrâncias
Algumas de certa elegância
Outras, de vastas substâncias
Na arrogância do que tem ânsia

Há também aquela ignorância
Das diferenças e semelhanças
Há abundancia de insegurança
Somada com infinita esperança

Ao deixa confusa, a criança
Aquela que dança, faz tranças,
Só quer balançar na balança
E que não conhece a vingança

Ela é apenas sua visão ou lembrança
De quando ainda tinha confiança
De quando não precisava de mudança
E não usava suas adagas e lanças

Sorriso Fechado

Vacúo de brilho e abraço
Não sei o que faço
Em meu mundo e espaço
Falta algum pedaço

No cadarço, o embaraço
No caderno, traços
Acordar, ainda em cansaço
Colapso, ultracolapso

Um copo de café e os passos
Um cigarro do maço
Seguindo o mesmo compasso
Subindo ao terraço

Lacuna deixada pelo fracasso
Medo de ser devasso
Sua derrota que não ultrapasso
Mesmo assim repasso

O Ameaço...
Empatia com o seu sorriso fechado
O Ameaço..
Não quero mais passar do seu lado!

Leis e Reis

São blindagens de leis
Que favorecem os reis
Vendagem do que lerei
Do que já li, fiz ou farei

Uma lei que é dura,
E que pra poucos dura
Fazem da minha fúria,
Essa confusa loucura

Leis que protegem a ditadura
E algumas falsas fofuras
Não há cura para essa cultura
De desonestas criaturas

Liberdade de fazer o que a lei permite
Verdade que a imprensa apenas omite...

Contratempos e Contra o Tempo

Forte expressão
Tão dura quanto uma ação
Faz a humilhação
Da alma estirada no chão

É como se fosse um tiro em cada joelho,
Um soco potente bem no meio de seu peito
E um vago tapa em sua nuca, que você nunca...
Vai querer experimentar

Mas as palavras são mais fáceis de cicatrizar
Basta caminhar, pensar e ter um novo olhar
Não são como a força bruta, essa você nunca...
Vai querer experimentar

Tem o Tempo, tem o Destino
Tem a Provação e também o Caminho
Tem o Calculo, tem o Obstáculo
Tem a Armadilha e seus mil Tentáculos

Sua força é testada todo dia...
E ainda pedem que você sorria

Super-herói de Outono

Super-herói com pijama e capa nas costas
Ainda sem sair da cama e sem propostas
Frio que o acasula, sem procurar respostas
Sem procurar por aventuras ou apostas

Super-herói com sua máscara de dormir caída no pescoço
Abraçado em seu edredom, tenta desenhar um novo esboço
Super-heróis de chinelo e meia, filosofando frente a geladeira
Procura comer besteira, desfocado de atravessar fronteiras

Desfatos

Teologia da benção
Teoria da evolução
Mitos da imaginação
Aprenda, que é lição

Nos ensinam sobre visões antigas
A paz, as guerras e simples brigas
Nos ensinam sobre velhas fantasias
Sobre sonhos e algumas soberanias

Mais do mesmo
Deixem-nos escrever nossa nova história
Mas bem menos
De miséria, omissão e corrupção notória

Cansados de Desfatos
Falsos Tratos e Pactos

O Caminho

O Caminho, meu melhor amigo
Mas nele, eu não ando sozinho

Faço coisas que muitos não fazem
Pra chegar onde muitos não chegam
Trago a ti, só o que os raros trazem
O que alguns negam e muitos pregam

O Caminho é minha melhor poesia
Onde há nostalgia, agora e profecia

Seria sério?

Seria sério o critério?
O império e o Aurélio?
Seria sério o cemitério?
O verbo e o adverbio?

Qual o mistério do ministério?
Qual o ministério do mistério?
Quando o parecer aparecer...
Quem irá perecer ou renascer?

Itinerário de Repouso no Outono

O frio e seu sono que predomina
A retina que se entrega na rotina
O controle de baixo do travesseiro
Preparando-se ao próximo roteiro

Sonhos de lembranças ou de premonição...
Toca o despertador e sairás de seu colchão!

Durante o dia quer dormir mais
Durante a vida quer ter sua paz
A queda das folhas e o vento forte
Logo, os pássaros voarão pro norte

Aroma de Rosas e Velas

Você diz adeus pra aquela pessoa que nunca mais verá Mas se ela não te disse adeus, ela te observará Você faz preces de que ela esteja bem onde esteja ou for Mas quem mais precisa ficar bem é você, com dor
O peito que parece um buraco negro E a alma pesada sem te dar sossego Ela de lá só espera que você melhore Sorria, viva e simplesmente acorde
Não sei se está escrito em livros o que está do lado de lá Pelo menos acredito, sem ver alguém que foi e voltou pra cá
A chuva já está passando E o café, esfriando As pessoas indo embora, Poucos ficam agora

6:15

Não está descalça
Está de meia e chinelo
Pede café da manhã
Sorriso e pijama amarelo

Não está maquiada
Está toda despenteada
Não pede mais nada
E de repente, uma risada

O significado, nenhum...
Ela diz!

O Barata Tonta

O cupido é o culpado
O menino, o machucado
Ninguém foi indiciado
E ninguém, incriminado

O sorriso está fechado
Seu rosto, inclinado
Ele anda para os lados
Barata tonta, abalado

Já estou cansado de tanto observar...
Eu é que começo a ficar tonto de olhar

Nossas Guerras

Batalhar e depois da gloria
Levantar seu galante troféu
Ilustrar e ficar na memória
Aos que observarem o céu

Levantar a bandeira de sua tropa
Contra ao que governa
Mire suas armas direto no inimigo
Mesmo com guerra interna

Enfrentar e sangrar
Marcar-se de batalhas
Confrontar e cicatrizar
Sobrepor suas falhas

Mas tenha tempo pra comemorar
E não uma guerra eterna
Tenha aquele tempo para sonhar
Enquanto apenas hiberna

O melhor sabor é o da vitória
A ambição de sempre vencer
E saber que ficará pra história
Sem nunca esquecer de viver

Declare guerra todos os dias
E sempre que puder, sorria!

Verso Militar

Espero a evolução que seja da mente e do coração
Mudando de estação, Am ou Fm, Inverno ou Verão
Espero a evolução que seja da direção e da rotação
Lutando e enfrentando os que virão em sua direção

Que suas surpresas não sejam sustos
Que suas defesas não sejam surtos

Espero a evolução que seja da vontade e da ambição
Sangrando por sua verdadeira criação e composição
Espero a evolução que seja da sabedoria e da intensão
Não tendo inversão da atuação, mantendo a posição

Que suas surpresas não sejam sustos
Que suas defesas não sejam surtos

Discurso Linear

Rasgar o verbo com frases impactantes Explorar um verso que pra você é muito importante Seguir a linha de raciocínio que acredita O paragrafo que edita e a frase que a mente modifica
Muito do que quer dizer Muito do que querem entender Essa é uma linha literária Que parece precária e otária
Pode ser a imaginação sem significado que cria vida Alguém que não quis dizer nada e te disse tudo Mas também pode ser uma mensagem a ser refletida Alguém querendo te explicar sobre seus estudos

Casulo da Alma - Capítulo: Dois

Não sei se apenas são
Lembranças impuras
Ou se essas cenas são
A esperança obscura

Habitar lugares cheios do vazio
Orbitar por esses planetas ocos
Avaliar a sua lacuna e seu óbvio
Optar e aceitar ser mais um louco

Hoje você agradece por sua força
Ontem chorou por ela ser uma fraqueza
E seu sorriso que parece tão pequeno
Mas com vigor possui a imensa grandeza

A farda dos fortes e a dos que parecem fortes
Bandeiras daqueles que vem do sul e daqueles que vem do norte
Guerras com suas mortes e seus poucos suportes
Uma noticia e mais um recorte, milhares vidas e um novo recorde

O que realmente é essa vida?

Pijama Cinza

Destruir inimigos
Transformá-los em amigos
Dizer ao perigo
Eu posso, eu consigo

Lendo o artigo
Sobre mendigos sem abrigos
A satura do figo
A fartura e fatura do trigo

Um jornal, um cigarro e um café
Olhando a chuva, tentando ter fé

Piadas

Piadas sobre a vida e a morte
Piadas sobre o azar e a sorte
Piadas sobre as etnias e as raças
Piadas sobre Deus e a desgraça

Piadas para esquecer
Piadas para lembrar
Piadas para enfurecer
Piadas para gargalhar

Piadas para sorrir ou ferir
Piadas para agraciar ou punir
Piadas para entrar ou sair
Piadas para espalhar ou abolir

Piadas podem ser uma arma
Ou uma bandeira branca
Vai de quem fala e como fala
Ou como e onde se estanca

À Beira Margem

Nós queremos das pessoas, as surpresas boas
O que queremos do tempo, é ficar aqui, atoa
Pular no mar da proa, ou da canoa pra lagoa
Mas que seja gelado, com neblina e uma garoa

Que a garota te espere sorridente
Que a garota te berre "seu demente"

Destinos

Passos tortos, já indo pro lado
De quem parece desorientado
Atenção que não tem prestado
Da beleza que te deixa admirado

Uma pintura num quadro retângulo
A lua que é vista por muitos ângulos
Sem medo de se distrair e tropeçar
Aqui, apenas observar, apenas sonhar

Quer encontrar um caminho ou uma saída
Tem que ter raça, tem que ter garra
Quem não consegue nada melhor na vida
É porque  não melhorou em nada!

As vozes da mente e do peito
Alma e consciência em estreito
Não  ficar imóvel em seu leito
Não parecer suspeito, fazer efeito

Os sonhos acontecem na cama
Mas não é lá que terá sua fama
Acordar sem o medo de tropeçar
Não apenas observar e sim conquistar

Quer encontrar um caminho ou uma saída
Tem que ter raça, tem que ter garra
Quem não consegue nada melhor na vida
É porque  não melhorou em nada!

Destinos são escritos por quem quer escrever
Sorrisos são contidos sem precisar descrever
O tempo passa e não volta atrás, é só saudade
Que não seja apenas interna sua força de vontade

Pensar e…

O Pesar

O peito escuro como uma noite que vem vindo
Basta apenas um sorriso pra ver estrelas no céu
Espera por uma que seja cadente, para um pedido
Ócio do réu ao léu arrependido de ter sido cruel

Jubilo

Voz suave e calma que causa respeito
Traz tranquilidade ao sujeito, que tira proveito
Refaz seu conceito e desfaz seu defeito
Sente-se satisfeito diante ao feito e seu efeito

É como a alma sendo invadida pela ventania
Momento de agrado, alegria e muita calmaria

A canção e a satisfação
A oração e a benção
A adição e a multiplicação
A emoção e a infecção

Boa pontaria da fantasia, sinfonia em harmornia
Momento em que nem teimosia, tira sua calmaria

Cara Limpa

A capacidade de sorrir é rara
Aos que não usam máscara
A transparência é essência,
Evidência e não uma ciência

O mau-humor só é o maior defeito,
Talvez por ninguém ser perfeito
A face indócil é apenas um escudo
De antepor o respeito sobretudo

Saber sorrir de verdade
Sempre é o melhor remédio
Nunca sorria por vaidade
Pra fingir sair de seu tédio

Quem usa máscara, não quer ser reconhecido!